Internacionalização

Inglês – O conhecimento que deixa o mundo pequeno

Aprender uma outra língua como o Inglês pode te abrir portas seja em um trabalho ou em um intercâmbio. O fato de falar Inglês ou Espanhol com fluência pode praticamente te garantir um emprego fixo.

Como saí de ser reprovado em uma entrevista para tirar 110 no TOEFL iBT

Foto por LinkedIn Sales Navigator

Quando tinha 21 anos, estava à procura de um estágio. Em uma das minhas primeiras entrevistas para uma consultoria automobilística fui testado em diversos aspectos: uma prova para testar meus conhecimentos analíticos, uma entrevista com o RH para saber se eu daria conta de entrar no ritmo de trabalho exigido – e para ver se eu era um cara legal também. Além de uma entrevista com o recrutador.

A última etapa, em uma conversa informal, o entrevistador me perguntou se poderia testar meu inglês. Confesso que tremi na base, sabia que tal fase iria chegar, mas não estava nem um pouco acostumado a falar em outra língua.

Ele simplesmente começou a me perguntar sobre meus dias livres para fazer o estágio, quais horas estava disponível, quais dias da semana e coisas do tipo. O processo estava encaminhado – quando a gente ouve este tipo de pergunta em uma entrevista fica fácil perceber que já está com a “mão na vaga”.

Porém, ao balbuciar algumas palavras e engasgar no Inglês ao comentar dos dias da semana consegui perceber o clima tenso e a cara de incrédulo do recrutador. Confundi Tuesday (terça-feira) com Wednesday (quarta-feira), não consegui me expressar bem e mal conseguia terminar uma frase.

Se pudesse ler a mente do entrevistador acho que ouviria algo do tipo:

“Como pode uma pessoa tão capacitada não saber falar o básico de Inglês?”.

Era uma pergunta óbvia dado que o público que atendia tais universidades deveria ter o mínimo de cultura e educação em língua estrangeria para conseguir se comunicar.

O desfecho como você pode imaginar foi simples: o recrutador inventou uma desculpa esfarrapada do tipo “Sabe de uma coisa? Deixa pra lá.” E dois minutos depois estava me encaminhando para a porta de saída com a velha história do: “Vamos analisar os resultados e entraremos em contato em breve.” – nunca mais ouvi alguma coisa da empresa. Tanto é que nem me recordo o nome da mesma.

Para muitos seria um dia bem ruim. E foi para mim. Lembro que senti um misto de vergonha e medo de não ser “bom” o suficiente. Ainda bem que essa sensação durou exatamente um dia.

No dia seguinte, coloquei como meta aprender a falar Inglês fluentemente. Meses depois estava aplicando para um intercâmbio no exterior no qual consegui uma bolsa integral por dois anos.

Como aprender Inglês por conta própria

Essa história me marcou e resolvi compartilha-la aqui. Muitas pessoas perdem a chance bem antes de chegar neste nível de entrevista, pois colocam o famoso “Inglês básico” no CV.

Outras, mais ousadas, jogam o nível do Inglês um ou dois níveis acima quando colocam no currículo, mas quando perguntados dizem “Ah! Meu Inglês é avançado, mas não fluente”.

Para muitos, infelizmente isso não é o suficiente. Afinal muitas empresas que exigem Inglês tem presença em outros países ou interagem com empresas do exterior, então a conversação é imprescindível.

No final do dia, contra falta de conhecimento, não há argumento – apenas trabalho duro.

Porém, fique tranquilo, pois com as dicas certas, um pouco de esforço e foco é possível ver resultados rapidamente.

Não é que eu sou muito mais inteligente, eu só penso sobre os problemas por mais tempo que os outros.

Albert Einstein

Uma dica importante para se aprender qualquer língua é estar imerso na cultura. A língua ilustra o jeito como pessoas de um mesmo grupo vivem e interagem entre si.

Da mesma forma que você acaba absorvendo as gírias dos seus amigos ao frequentar os mesmos lugares como escola/faculdade, você consegue absorver uma língua inteira vivendo em outro país.

Os jovens parecem que tem um jeito próprio de falar. Você já tentou conversar com um primo mais novo e se deparou com termos estranhos? Esse linguajar que muda de idade para idade, do Norte ao Sul do país pode ser estendido para outras línguas.

Mas como fazer se eu não tenho dinheiro para passar alguns meses nos EUA para “absorver” esta cultura?

O primeiro passo para se aprender uma outra língua é adicionar cultura estrangeira ao seu dia a dia em pequenas doses.

Dicas para começar a praticar Inglês

Foto por Rahul Bhogal 

Aqui vão algumas dicas (o mesmo se aplica para aprender Espanhol):

Assistir séries com legenda

Sabe aquela série do Netflix? É uma boa hora para colocar ela legendada – você vai começar a acostumar seu ouvido aos termos e gestos em Inglês.

No começo é um saco, mas depois de uns dois ou três seriados/filmes você acostuma.

Sou grande fã do cinema nacional, mas talvez seja a hora de deixar de lado um pouco nossa cultura brasileira para se adentrar nesta nova cultura que poderá te abrir portas para o mundo.

Coloque uma meta. Assim que estiver acostumado com os filmes legendados e começar a entender algumas expressões, troque a legenda para o Inglês. A adaptação será um pouco mais difícil, mas depois de um tempo você vai acostumar.

No começo, não tem problema você não entender alguma cena ou outra, com o tempo você vai pegando os detalhes. O importante é estar praticando a língua e procurando sempre que possível as palavras no Google.

Lembre-se: o objetivo não é entender todas as palavras, afinal ningúem entende tudo que se fala (nem mesmo os nativos – ou vai me dizer que você sabe o que beneplácito significa em Português?)

Escute músicas em Inglês

Eu também adoro um bom e velho Samba. Porém, comece a dar prioridade para as playlists de música estrangeira.

Ao ouvir música em Inglês você está fazendo seu cérebro acostumar com os fonemas da língua inglesa. Os sons que no começo parecem sem sentido algum começam a ficar mais claros a medida que você vai aprendendo palavras.
Use e abuse de sites como o Vagalume onde você consegue buscar traduções das suas músicas preferidas e ir aumentando seu vocabulário.

Não entende o que do que a música fala? Procure sua tradução. Esse é um dos melhores jeitos de memorizar palavras e expressões em uma outra língua.

Ponha tudo em Inglês

Mude a língua do seu computador, celular e vídeo game para Inglês. Isso vai te deixar desconfortável (de propósito) no começo, mas em algumas semanas você estará acostumado.

Jogos dublados? Deixe para depois – mude para Inglês mesmo que em uma fase ou outra você não entenda o que está acontecendo direito.

Aos poucos seu ouvido vai começar a perceber certas expressões que irão te ajudar a aprender a nova língua.

Pausar o jogo e dar um Google na palavra sempre ajuda.

Google Translate

E falando em dar um Google, se você não conhece o aplicativo Google Translate, agora é uma ótima hora para baixar o App no seu celular. Isso vai te motivar a buscar as palavras e frases para ir te motivando.

Além do App eu também uso a extensão do Chrome que ajuda a rapidamente buscar palavras sem ter que sair do website.

O fato é que não há tradução exata para todas as expressões e no longo prazo você tende a não utilizar traduções mas sim “pensar” em Inglês.

Porém, o começar traduzindo as palavras é um ótimo caminho para te deixar motivado em aprender a nova língua.

Fale sozinho

Leia notícias em Inglês em voz alta. Feche a porta do quarto e não de atenção para as pessoas que te acharão meio maluco falando sozinha.

Mesmo se não entender direito do que se trata, as imagens e vídeos irão te auxiliar a compreender cada vez melhor as notícias.

Lembre-se que comunicação não está só nas palavras, mas nos gestos, expressões, tom de voz e imagens.

Foto por Наталия Когут 

Só nestas dicas você já encontrará um baita desafio dependendo do seu nível de Inglês.

No entanto, pode ter certeza que após um certo tempo o blábláblá em Inglês vai começar a fazer mais sentido e você vai se pegar imitando uma expressão ou outra. Oh yeah babe!

Feito isso, um pouco de educação “técnica” ou formal é imprescindível se você tem como objetivo ser fluente em Inglês e poder usar no dia-a-dia do trabalho, por exemplo.

Minha dica é acessar canais do YouTube em Inglês com constância – uma ou duas vezes por semana.

Convenhamos se você não tem disciplina para sentar e praticar inglês sozinho por dois dias na semana, muito provavelmente irá jogar dinheiro fora em uma escola de Inglês.

Aprenda online

Foto por Christina @ wocintechchat.com

Vídeos são uma ótima forma de aprender. Conhecimento prático pode te dar aquela motivada para ir atrás da gramática da língua.

Eu lembro que no começo era um saco ter que decorar certos verbos e expressões, pois não havia contexto.

Porém, após um tempo sendo exposto a conteúdos em Inglês, as palavras começam a vir mais facilmente.

Assistir séries ou jogar videogame em formato de história te ajudará a pegar expressões em contexto e as imagens e sons irão fazer este conteúdo fixar melhor.

Pode-se até adicionar algum aplicativo como o DuoLingo. Porém, só será eficiente se houver disciplina e motivação.

Crie um compromisso com você mesmo: só comece a aprender Inglês se você estiver disposto a fazer isso constantemente por pelo menos 3 meses.

Após esse período, eu te garanto que não só seu Inglês estará melhor como sua disciplina irá ajudar a manter os estudos em dia.

Dicas de canais no YouTube

Existem muitos bons produtores de conteúdo gratuito no YouTube, aqui cito os meus favoritos:

English in Brazil by Carina Fragozo

Um canal que eu assistia muito era o canal da Carina Fragozo chamado English in Brazil by Carina Fragozo

English in Brazil by Carina Fragozo

Eu sempre a achei muito didática para ensinar e são sempre aulas em contexto prático o que ajudar a lembrar.

SmallAdvantages

Um outro canal que gostava muito de seguir era o SmallAdvantages do Gavin. Gringo que aprendeu a falar Português e da várias dicas para a gente aperfeiçoar o sotaque.

SmallAdvantages

E existem muitos outros basta procurar:

Dicas de canais no YouTube

Uma dica importante: antes de procurar um milhão de canais, estabeleça uma rotina de estudos. Lembre-se que faltar a sua própria aula significa que você está apenas se auto sabotando – seu compromisso com você mesmo tem que ser o mais fiel possível.

Apenas com estes truques e um pouco de dedicação você irá ver seu nível de inglês subir e muito. A confiança só irá vir com o tempo. E para isso é necessário praticar a parte mais difícil para quem não mora em país que fala língua Inglesa: a fala.

Como praticar a conversação em Inglês

Foto por Priscilla Du Preez

Pode parecer maluquice, e talvez seja. Mas o que eu mais fazia quando era mais novo e não tinha alguém para conversar era literalmente conversar comigo mesmo.

Isso mesmo. Eu colocava um espelho na minha frente e treinava apresentações ou tentava ensinar algo que estava aprendendo para mim mesmo só que em Inglês.

Ao falar em frente a um espelho, você emula uma audiência. Então faz parecer que existe alguém lá ouvindo e isso te deixa desconfortável o suficiente para que haja um treino eficiente da língua.

Outra forma, mais normal por assim dizer. É usar sua rede de amigos para encontrar alguém disposto a te ajudar a desenvolver seu Inglês.

Com a internet hoje em dia, é capaz de você encontrar até nativos em outros países para praticar, seja jogando online ou mesmo através de aplicativos como o Hello Talk. Este aplicativo te permite conversar com outras pessoas pelo mundo.

Aplicativo Hello Talk

TOEFL e IELTS

Para as pessoas que buscam um intercâmbio, fazer um teste de Inglês é obrigatório. TOEFL e IELTS são dois testes muito comuns, e que custam caro.

Para tirar o melhor proveito destes testes é necessário ter uma nota alta. Isso te auxiliará a aplicar para uma bolsa de estudos e ter maiores chances.

Usando as dicas acima você já terá um ótimo começo. Porém para tirar uma boa nota em qualquer teste o segredo é a prática – o famigerado simulado.

Tais testes seguem um padrão uma vez que tem como objetivo medir a capacidade de comunicação em língua inglesa de um estudante de ensino superior. Então basta praticar este padrão por tempo suficiente para tirar uma nota alta.

Um dos recursos que mais utilizei foi o uso de simulados para medir minha performance em cada fase do teste. Chegou um ponto no qual eu tinha memorizado o padrão da prova e sabia quanto tempo teria para cada estágio: Listening (ouvir), Reading (ler), Speaking (falar) e Writing (escrever).

Cada etapa tem uma estrutura específica e mede uma habilidade ou outra. Para nós brasileiros, geralmente ler e ouvir são as partes mais fáceis do teste devido nossa proximidade com a cultura americana.

Quando fiz o teste, foquei em tirar a maior nota possível em ambas as partes. Deixando uma folga para escrita e principalmente a fala (meu ponto fraco na época).

Para estudar a estrutura, eu usei o canal do Youtube chamado NoteFull TOEFL Mastery. Neste canal, os professores destrincham a prova em detalhes e explicam como se dar bem em cada uma das fases. Recomendo sugar todo e qualquer conteúdo deste canal.

Canal NoteFull TOEFL Mastery

Além disto, existem softwares que te permitem simular a prova no mesmo estilo de como ela é aplicada. Isso te permite fazer o TOEFL muitas vezes antes de gastar o dinheiro da inscrição.

Após 3 meses com dedicação de algumas horas por semana, me senti confiante o suficiente para aplicar para o TOFEL. A data da prova já estava na minha agenda desde o começo o que me deu uma pressãozinha extra para me manter no ritmo de estudos.

E o resultado vocês já sabem: acertei 92% do teste (110/120 pontos) o que fez minha aplicação para bolsa de estudos saltar aos olhos dos recrutadores na época uma vez que esta pontuação é bem acima da média.

E o mais engraçado é que, naquela época, eu ainda não me considerava 100% fluente.

Eu entendia bem, mas nunca tinha viajado para o exterior então não sabia como seria a vida em outro país falando em Inglês o tempo todo. E pode ter certeza que é bem mais fácil que o TOEFL faz parecer.

Conclusão

Aprender uma outra língua como o Inglês pode te abrir portas seja em um trabalho ou em um intercâmbio. O fato de falar Inglês ou Espanhol com fluência pode praticamente te garantir um emprego fixo.

E isso mesmo durante crises econômicas, uma vez que em cidades grandes há muitas oportunidades onde falar tais línguas se torna obrigatório.

Recepcionista de hotel, agente de atendimento ao cliente para serviços internacionais e até mesmo tradutor/professor de Inglês. Todas essas profissões obviamente exigem fluência em outra língua o que restringe muito a procura por tais vagas.

O segredo para se aprender algo como não canso de dizer é: não existe segredo, apenas trabalho duro. Discipline-se para praticar com frequência e faça disto parte da sua vida.

Desde mudar a configuração do celular para uma outra língua até dedicação do seu tempo livre para aprender.

E no final, não se preocupe: ninguém domina uma língua 100%. Quando eu fui reprovado naquela entrevista, jamais imaginaria que hoje estaria morando em outro país onde falo em Inglês o tempo todo sem medo.

Dominar um outro idioma é abrir uma porta para o mundo fora do seu país, e quem sabe que aventuras te esperam ao cruzá-la?

0 comentário em “Inglês – O conhecimento que deixa o mundo pequeno

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair /  Alterar )

Foto do Google

Você está comentando utilizando sua conta Google. Sair /  Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair /  Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair /  Alterar )

Conectando a %s

Este site utiliza o Akismet para reduzir spam. Saiba como seus dados em comentários são processados.

%d blogueiros gostam disto: