Conhecimento

A cura para a preguiça

Falar é fácil, por em prática é outra história. Quem nunca tentou começar um novo hobby e deixou de lado?

A única notificação no meu celular

Falar é fácil, por em prática é outra história. Quem nunca tentou começar um novo hobby ou projeto e deixou de lado após alguns dias? Ou aquela dieta para o carnaval? Ou começar a fazer academia regularmente?

A cura para a preguiça é entender por que temos preguiça em primeiro lugar. Porque certas atividades são mais fáceis de se fazer com consistência do que outras.

Existem vários mitos e várias razões ao redor do porquê nós deixamos as coisas de lado. Porém, neste post vou falar sobre o que eu fiz e me até hoje me ajudou.

O poder do hábito

Hábitos são gravados em nossa cabeça de modo que é muito difícil evitá-los. Crie novos hábitos positivos e a preguiça some. Foto por Taco Fleur

Você provavelmente já deve ter visto a capa deste livro chamado O Poder do Hábito do Americano Charles Duhigg em alguma livraria de shopping.

O livro fala sobre os aspectos científicos do cérebro em como nós usamos essa ferramenta poderosíssima chamada criação de hábitos e como eles se parecem enraizar na nossa mente.

Escrevi recentemente um post sobre este livro que ficou entre meu top 10 em 2019.

Afinal, como o próprio Charles menciona no seu livro, não seria muito legal toda vez que a gente voltasse de férias após algumas semanas ter que reaprender a dirigir o carro do zero.

É um mecanismo de defesa do ser humano termos esse conhecimento guardado em algum lugar que não esqueçamos como realizar certas tarefas apenas por ficar um tempo sem executá-las. 

Saber como hábitos são formados no nosso cérebro é essencial para usarmos isso ao nosso favor ao tentar sair de um hábito ruim ou iniciar um que seja mais saudável.

De modo bem simplificado há três aspectos que temos que nos atentar:

1. Tempo e repetição

Precisamos de tempo e repetição para criar um hábito.

E por tempo eu digo repetição diária por pelo menos 21 dias até 3 meses dependendo da complexidade do hábito.

Logo, não ache que aquela semaninha livre para ir na academia vai mudar a sua vida. É necessário planejamento.

Tente planejar algumas semanas e coloque despertadores, ou notificações no seu celular para te manter em foco. Seja ir na academia, começar um novo hobby ou mesmo uma dieta.

2. Formação de hábito

Entenda como o hábito é formado. Um hábito pode ser quebrado em três partes básicas: gatilho, rotina e recompensa. É essencial ter essas três partes bem definidas.

O gatilho é algo visual ou sonoro. Por exemplo, sempre deixar a roupa da academia a vista ao chegar em casa após o trabalho, ou um alarme que te lembra de assistir uma aula no YouTube.

A rotina é o que você quer praticar e exige a repetição mencionada anteriormente.

E por fim – e não menos importante – a recompensa é aquilo que vai fazer seu cérebro conectar a rotina a algo positivo ou bom. Algo que, se recorrente, irá trazer prazer. Por exemplo, deixar o chocolate para apenas depois de treinar.

3. Autodisciplina

Nem todo dia será um bom dia para ir na academia ou as vezes iremos deixar de estudar Inglês por preguiça. Mas o mais importante é ter consciência que isso é um jogo de longo-prazo.

Um dia ou outro que a gente escape não vai impactar resultados futuros se estivermos comprometidos com o longo-prazo. Não deixe para voltar para uma dieta na próxima segunda-feira, volte na próxima refeição.

Não crie desculpas para não aprender uma habilidade nova, se está difícil demais, tente algo mais fácil antes, mas não use as desculpas para se confortar.

Campeões não fazem coisas extraordinárias. Eles fazem coisas simples, porém eles as fazem sem pensar, rápido demais para que o time adversário possa reagir. Eles simplesmente seguem os hábitos que aprenderam.

Charles Duhigg – O Poder do Hábito

Assim que você se pegar se auto sabotando e tentando deixar o seu desenvolvimento de lado, lembre-se que ninguém irá te puxar pela mão. Reconheça que aquela batalha pode ter sido perdida, mas a guerra ainda não.

Volte ao caminho assim que possível e em pouco tempo a disciplina irá tomar conta.

A única notificação no meu celular

Olhar notificações é um hábito do mundo moderno. E muitas vezes nos atrapalha quando queremos nos concentrar. Foto por Jamie Street

É cientificamente comprovado que o som das notificações do celular pode causar ansiedade. Além de que estes sons te tiram do estado de concentração que você estava e ter tornam menos eficientes.

Eu como desenvolvedor de software, sei como é importante estar concentrado para desenvolver um programa novo ou resolver um problema. Alguns desenvolvedores chamam de estar in the zone – ou na zona de concentração.

Estar nessa zona de concentração permite engenheiros de software programar por horas a fio sem cansaço ou desconforto. As sensações e distrações do mundo exterior ficam em um segundo plano.

Por isso, saber controlar suas notificações pode ser uma ótima ferramenta para melhorar sua produtividade.

Principalmente, se você está no mesmo grupo que eu e quer se desenvolver em qualquer área para pode fazer coisas incríveis e ajudar outras pessoas.

A única notificação no meu celular é a do meu calendário. Qualquer aplicativo de calendário como Outlook ou Google Calendar pode te ajudar a ser mais eficiente.

Se você não tem o costume de ter uma agenda agora pode ser uma boa hora para criar uma.

Eu costumava utilizar listas de afazeres (do inglês Todo lists) onde listava todas as tarefas que tinha que executar.

Porém, sempre ficavam algumas de lado e iam se acumulando por semanas na minha lista.

Hoje eu sei que se eu quero que algo seja feito eu coloco na agenda. 7 dias por semana das 8-22h há espaços onde aloco atividades desde resolver uma coisa no banco até me reunir com alguém do trabalho.

Não faço distinção entre trabalho e vida pessoal uma vez que o meu tempo é um só. Muitas CEOs de grandes empresas e pessoas bem sucedidas tem uma agenda extremamente bem controlada.

Elas todas sabem que o dinheiro não compra tempo. E o que as fez ricas muitas vezes foi como souberam utilizar bem seu tempo.

Reduza as notificações inúteis, mantenha uma agenda organizada e coloque as atividades em espaços no seu calendário. Pode ter certeza que sua produtividade irá aumentar e muito.

Saiba dizer não

Ter um agenda com horários bem definidos te ajuda a focar no que tem que ser feito e conseguir dizer não para as tarefas que estão fora da prioridade. Foto por STIL

Sigo à risca meu calendário e sei que as atividades mais importantes e que não troco ou postergo são as que me trazem maior qualidade de vida.

Ir na academia, ficar com a minha família ou sair para jantar com meus amigos são atividades que valorizo muito e não troco por nada. Se aparecer algo fora de hora no meu trabalho não tenho medo de dizer não. 

Saber escolher onde focar seu tempo é essencial para que hábitos sejam formados e que atividades sejam executadas afinco.

Porém, se começou um hobby novo e viu que aquilo não era tão legal quanto parecia: não tenha medo de simplesmente largar e focar suas energias em outras atividades.

Isso não é desistir se você identificou que aquilo não vai ser algo que você vai gostar de fazer ou vai te ajudar se tornar uma pessoa melhor.

No entanto, se você sabe que uma atividade vai te trazer melhores resultados como aprender uma habilidade nova que irá te ajudar no seu trabalho, coloque-a como prioridade. Separe tempo no seu calendário e siga-o à risca.

Uma vez na sua agenda, você não terá desculpas por esquecer que, por exemplo, das 19h às 20h nas terças e quartas era o seu compromisso com aprender Inglês.

Está na sua agenda, você recebeu uma notificação com antecedência. Faltar a estas aulas é não ter palavra com você mesmo. Pense se você mataria uma sessão destas se um amigo seu estivesse te esperando.

Ou se você tivesse pago dinheiro do seu bolso?

Neste caso, lembre-se que o seu tempo também vale dinheiro e querendo ou não você está pagando de uma forma ou de outra.

Conclusão

Saber escolher no que focar é difícil. Mas mais ainda é focar naquilo que sabe que irá te trazer resultados. Todos nós passamos pelos mesmos começos seja aprendendo um novo esporte, uma nova habilidade ou um novo idioma.

O que nos diferencia entre os que conseguem aprender e os que não é a técnica em aprender e saber suas limitações. E como contornar estas limitações e ter a disciplina nos momentos difíceis.

Faça uma reflexão e entenda como você criou seus hábitos que tem atualmente. Quais são os gatilhos que te levam a fazer o que você faz? Quais as recompensas?

Uma vez descoberto isso tente aplicar em hábitos que irão te ajudar a crescer e se desenvolver. E não tenha medo de errar ou fraquejar. Uma vez que deu de cara com a parede, levante e tente novamente. Sempre haverá novos caminhos que podem te fazer chegar lá.

Mantenha apenas as notificações necessárias no celular (calendário) e saiba dizer não para as distrações e tarefas de última hora que não são prioridade.

Foque naquilo que irá te agregar valor e os resultados virão.

Qual será o seu novo desafio?

0 comentário em “A cura para a preguiça

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair /  Alterar )

Foto do Google

Você está comentando utilizando sua conta Google. Sair /  Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair /  Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair /  Alterar )

Conectando a %s

Este site utiliza o Akismet para reduzir spam. Saiba como seus dados em comentários são processados.

%d blogueiros gostam disto: