Tecnologia

Como migrar para a área de TI

Como fazer se: para entrar na área de TI preciso de experiência, mas para conseguir experiência preciso estar na área de TI.

O ovo ou a galinha?

Como fazer se: para entrar na área de TI preciso de experiência, mas para conseguir experiência preciso estar na área de TI.

Difícil não é mesmo?

Na verdade, você não precisa estar na área para ter experiência. A demanda por profissionais com conhecimentos de tecnologia é tão grande que só de ter vontade em aprender você já consegue exercitar as habilidades técnicas de programação.

Trabalho na área de tecnologia a mais de 8 anos. Já trabalhei com pessoas com diversas formações, inclusive sem formação (acadêmica) alguma. Tive um chefe que era músico de formação, e um dos melhores UX designers da empresa era formado em gestão de Meio Ambiente.

A área de TI é uma das áreas mais inclusivas que existe. Existe um grande movimento de pessoas que entram na área sem formação acadêmica, utilizando apenas experiências e práticas do dia-a-dia e pequenos cursos como os nanodegrees da Udacity. E imagino que esse seja um movimento muito maior que apenas a área de tecnologia da informação.

A Udacity tem um modelo de negócios muito interessante: eles vão nas grandes empresas de tecnologia, perguntam a recrutadores quais são as habilidades que eles procuram em uma funcionária júnior e desenvolvem o curso extremamente focado nestas habilidades.

Quais são as principais habilidades de um profissional de TI?

Comunicação, entender problemas complexos e estar acostumado com a incerteza estão entre as habilidades mais importantes de um profissional de TI. Foto por Annie Spratt.

Um profissional de TI precisa possuir ótimas habilidades de comunicação, entender problemas complexos e simplificá-los, estar acostumado com o incerto ou novo e aprender rapidamente.

Mas espera aí, não são essas as habilidades que muitas outras áreas pedem também?

Exatamente!

Se você já está no mercado de trabalho você já está 50% dentro da área de TI. Afinal, os problemas que os profissionais da área de dados resolvem são os mesmos da empresa como um todo.

Mas e a programação?

Ah, sim. A programação é importante. Porém não tão importante quanto a vontade de aprender programação.

Como assim?

Simples, nenhum desenvolvedor ou profissional da área de TI domina 100% as ferramentas que ele usa.

Então como eles trabalham? Eles aprendem conforme os problemas vão aparecendo e necessitam novas ferramentas para resolver.

Se o desenvolvedor fosse um marceneiro, é como se ele tivesse acesso a uma oficina gigantesca cheia de ferramentas (internet), mas só fosse aprender a utilizá-las conforme os clientes fossem pedindo para ele fazer objetos mais complexos.

À medida que os pedidos ficam mais complexos, o desenvolvedor vai a procura de outras ferramentas que podem deixar o trabalho mais fácil. E sim, isso envolve várias situações na qual você resolve um problema com uma chave de fenda e depois descobre que existia uma parafusadeira ali do lado para fazer seu dia muito mais fácil.

É claro que existe um básico que é necessário antes de conseguir seu primeiro emprego “oficial” dentro da área de TI seja ele um desenvolvedor Backend, Frontend, um UX designer ou analista de dados.

Porém, você pode aprender o básico à medida que está trabalhando em outra área. E melhor ainda, você pode usar o básico para resolver problemas da sua própria área de maneira mais eficiente.

Seja RH, administração, vendas ou marketing dá para usar a tecnologia da informação para melhorar a eficiência dos processos seja automatizando, mastigando a tarefa antes dela ir para a área de desenvolvimento ou mesmo na hora de comunicar uma tarefa para os times de TI.

Acredito que todos conseguem aprender o básico de TI não importa de qual área você venha.

  • Lógica de programação.
  • Algoritmos
  • GIT ou controle de versão
  • Administração de sistemas
  • Básico de 1 linguagem de programação
  • Estruturas de dados
  • Método ágil e Scrum

Obviamente, dependendo da área (existem muitas delas) você precisa de mais ou menos dos conceitos básicos. Uma analista de dados conseguiria se virar bem sem entender muito bem o que é GIT. Uma UX Designer não precisa saber bem sobre o básico de uma linguagem de programação.

Mas de modo geral, esses conceitos básicos tendem a ajudar todas as pessoas que interagem com a área de TI ou que querem se aproximar.

Já comentei o que é necessário para as analistas de dados e cientistas de dados serem consideradas para vagas júnior. Então como executar essa migração?

Como migrar para a área de TI

Eu acredito que a migração para área de TI não é algo binário ­– ou seja, está ou não está na área – mas sim uma transição.

1)  Tenha afinidade com tecnologia

Você gosta de tecnologia? Você se interessa por novidades da área? Talvez esta seja a primeira pergunta a se fazer. Foto por Uriel Soberanes.

O primeiro passo é descobrir se você tem afinidade com a área.

Se você está buscando conteúdo sobre, imagino que tenha vontade de trabalhar na área, que goste de tecnologia e que goste de aprender coisas novas. Sem isso, por mais que consiga migrar talvez esteja indo para uma carreira em frustrações.

2)  Descubra qual o nome da vaga que te interessa

O segundo passo é descobrir sua afinidade com o dia-a-dia de uma das áreas seja desenvolvimento, design, infraestrutura e dados.

Eu comecei aprendendo linguagens utilizadas por desenvolvedores de software, mas acabei me identificando com a área de dados. Muitas das coisas que aprendi me ajudaram a evoluir na carreira, mas acho o dia-a-dia dos analistas de dados muito mais legais do que os dos desenvolvedores.

Um dos passos mais importantes é descobrir se você vai gostar do trabalho. Se quiser saber mais sobre o dia-a-dia de um desenvolvedor de software sênior morando na Europa, acesse o episódio 2 do podcast do Aprendiz Moderno.

3)  Tenha vontade de aprender coisas novas

Após identificar as áreas de interesse, você tem que garantir que está disposto a aprender coisas novas. Não apenas para a migração de área, mas para o resto de sua carreira.

Na área de TI, as pessoas estão constantemente aprendendo sobre ferramentas novas. Afinal, a tecnologia continua mudando o tempo todo e cada vez mais em uma velocidade maior.

4)  Se torne o “conectado” do time

Se você trabalha em escritório, muito provavelmente passa boa parte do seu tempo na frente de um computador – da mesma forma que um desenvolvedor faria. Se você utiliza softwares no dia–a–dia, você tem muitas oportunidades de se aproximar da área de TI.

Seja sendo a “conectada” do grupo ou o “hacker/nerd” do grupo. Estes estereótipos não servem para muita coisa, mas eles mostram que suas habilidades técnicas estão acima da média. Seja aquela pessoa que está “por dentro” das novidades da tecnologia e está sempre tentando resolver problemas comuns com soluções diferentes (utilizando tecnologia).

5)  Se aproxime das áreas

Ao fazer isso, você naturalmente esbarrará na área de TI, seja participando de reuniões, buscando empresas terceiras que fornecem serviços de desenvolvimento ou até mesmo ajudando os times de TI a mapearem requisitos de negócios.

Esteja sempre curiosa e vá se aproximando dos times de TI sempre com vontade de aprender. Com mais amigos na área você irá ter mais chances de migrar para lá.

E é claro, se sua empresa não possui nenhuma interface com times de TI (desenvolvedores, analistas de dados, designers, etc) e não tem nenhum interesse em se tornar mais tecnológica, talvez seja a hora de pensar em tomar novos ares. Afinal, quando se tornar uma desenvolvedora ou cientista de dados terá que mudar de empresa de qualquer forma.

Conclusão

Vontade de aprender é a única habilidade indispensável para conseguir migrar para a área de TI. Foto por Jefferson Santos.

Migrar para a área de TI não requer dezenas de cursos, diplomas ou mesmo faculdade. Requer apenas experiência e vontade de aprender.

A experiência pode ser conquistada de várias formas. E a minha preferida é durante a transição para uma área de interesse seja desenvolvimento de software, hardware, UX Design ou ciência de dados.

Uma transição que começa identificando posições na qual você se enxerga trabalhando e se aproximando de pessoas que chegaram lá, sempre com um mindset de crescimento e com vontade de aprender.

Ao longo do caminho você também poderá aprender de diversas outras formas seja através de cursos online, projetos pessoais ou o melhor de todos os caminhos: com a mão na massa tentando resolver algum problema da empresa em que já trabalha.

Você pode não ser da área de TI, mas pode trabalhar imaginando que fosse. E isso só tende a te ajudar a migrar para esta área. Haja como uma analista de dados júnior e muito provavelmente você se tornará uma.

E se quiser aprender mais sobre esta carreira, siga-nos no YouTube onde postamos vídeos semanalmente para te ajudar a ir para área de dados.

Mudança de carreira para área de dados

Brasileiro vivendo na Holanda viciado em livros e em aprender coisas novas. Meu objetivo é ajudar muitas pessoas a se tornarem melhores e mais capazes através do esforço próprio para no futuro poder causar um impacto positivo no mundo.

2 comentários em “Como migrar para a área de TI

  1. Aprender é um desafio para todos aqueles que acreditam em si mesmo, e tem a capacidade de promover seu próprio auto-conhecimento.
    Para contribuir com a sociedade.
    Cidadania faz parte da vida de profissionais, que adquirem o conhecimento não só para si, mas para ajudar o próximo.

    Curtido por 1 pessoa

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair /  Alterar )

Foto do Google

Você está comentando utilizando sua conta Google. Sair /  Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair /  Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair /  Alterar )

Conectando a %s

Este site utiliza o Akismet para reduzir spam. Saiba como seus dados em comentários são processados.

%d blogueiros gostam disto: